A árvore da vida

Como estrelas que caem do céu

Derrama Senhor sobre nós o teu bálsamo consolador.

Lava nossas almas de esperança,

Encha nossa coração de alegria.

Que na inocência do sorriso e do olhar de uma criança,

Encontremos respostas para o que nos angustia.

Que o vento que sopra em nosso rosto

Leve para longe todos os tormentos de nossa alma,

Todas as tristezas e agonias.

Que a chuva caia sobre nós como uma cortina

Que fecha o palco de uma peça de teatro,

Deixando para trás os infortúnios que nos preocupam,

Mas guardando dentro de si os grandes momentos de nossa vida,

As lembranças das coisas boas que vivemos e fizemos.

Que a árvore da vida nos dê os frutos necessários

Ao nosso desenvolvimento, ao nosso crescimento.

Sabemos que nem todos os frutos serão doces,

Que haverá frutos amargos, estragados, machucados,

Ou frutos quase perfeitos mas com pequenas marcas.

Marcas deixadas pelas feridas que trazemos em nossa jornada,

Marcas das cicatrizes adquiridas ao percorrermos a estrada.

Mas também saborearemos frutos suculentos e doces

Se soubermos aproveitar cada momento,

Não nos desviando do caminho do bem,

Seguindo os ensinamentos do nosso Mestre Jesus.

E que ao fim de nossa vida, sejamos merecedores

De nos deitar sob a sombra dos seus galhos frondosos.

 

Evanhoé (03/03/07)