Obrigado por me ouvirem

Trago a alma atormentada pelo desespero e pela incerteza.
Estraguei a minha vida, coloquei tudo a perder, joguei fora um futuro promissor, minha família, meus amigos, me afastei de todos que realmente gostavam de mim, de todos que se importavam comigo de verdade por causa dela: da droga.
Como o próprio nome diz, a droga não presta, acaba com tudo o que você tem de bom dentro de você, acaba com seus sonhos, com sua saúde, acaba com a sua vida. E foi isso o que aconteceu comigo.
Hoje percebo que eu tinha tudo para ser feliz, só que na época eu não achava isso. Eu estava sempre insatisfeito, eu sempre queria mais, eu não me contentava com a minha vida, eu me sentia incompreendido, injustiçado.
Havia um grande vazio dentro de mim. Uma ausência absoluta de fé em Deus, de fé na vida. Não acreditava na continuidade da vida após a morte, na imortalidade da alma, na Lei de Causas e Efeitos, coisas que hoje eu sei, coisas que eu aprendi no lugar onde estou morando agora, neste Lar que me acolheu e que me deu todo o amparo e ajuda necessários à minha recuperação.
Às vezes sinto um desânimo muito grande. Parece que vou ter uma recaída, que vou voltar atrás, mas sempre procuro ajuda e encontro forças na oração.
Às vezes me sinto pequeno, frágil, com o peito oprimido, com medo do futuro, com medo de falhar novamente, agora que sei que uma nova reencarnação me espera. Peço forças a Deus e aos amigos que me acolheram para que eu não volte a me envolver com a droga, para não cair novamente neste abismo escuro e sinistro.
Quando eu me sinto assim tento pensar em coisas boas, mentalizo luz e meu coração silencia.
Quero esquecer todo o sofrimento que passei, todas as coisas ruins que vivi, quero sentir-me em paz comigo mesmo.
Obrigado por me ouvirem.
Continuem orando e vibrando por nós.

                    João Pedro (29/11/08)