QUERO ME CURAR

Eu quero mudar.

Eu quero me curar.

Será que ainda há salvação para mim?

Será que alguém pode me estender a mão?

Será que Deus pode me perdoar por tudo o que eu fiz de errado na minha vida?

Será que eu ainda tenho conserto?

Será que eu posso voltar a ser feliz?

Será que eu ainda tenho uma chance de me salvar?

Não sei mais quem eu sou, não sei mais o que eu tenho, não consigo me lembrar da ultima vez em que me senti feliz, em que estive tranqüilo e com o coração em paz.

Faz tanto tempo que não me sinto como um ser humano normal, como uma pessoa digna, honesta, limpa...

Depois que eu me envolvi com “elas”, minha vida se tornou um verdadeiro inferno, não sabia mais o que eu fazia, não tinha mais consciência dos meus atos. Quanta loucura eu fiz, quanta coisa errada eu fiz, quantas pessoas fiz sofrer, quanto maltratei o meu corpo.

Será que mesmo depois de tudo isso ainda existe perdão para mim?

Será que há uma forma de eu me livrar disso tudo, desse inferno em que a minha vida se tornou?

Estou cansado, não agüento mais viver assim. É.... viver, porque mesmo estando morto, percebi que continuo vivo, continuo sentindo tudo igual ao que eu sentia quando estava aqui na Terra, sentindo as mesmas dores, as mesmas vontades, tendo as mesmas necessidades de quando eu estava vivo, de quando eu tinha um corpo de carne.

E esse é o inferno. Nem morrer a gente pode, nem morrer em paz a gente tem direito! Eu fazia tudo o que fiz sem pensar nas conseqüências. Minha vida nunca foi boa, nunca tive perspectivas de futuro, esperança de uma vida boa, nunca tive família que me amasse, que se importasse comigo. Minha vida sempre foi meio torta, sem regras, sem limites, sem objetivos. Eu vivia um dia de cada vez, não tinha ninguém que se importasse comigo, nem eu tampouco me importava com ninguém.

E eu vivia assim, levando a vida, curtindo os momentos, as festas, as baladas, saindo com todo mundo, fumando e bebendo feito um louco. E eu pensava: “Se eu morrer, morri. Pelo menos eu aproveitei bem a vida, pelo menos eu fiz tudo o que eu quis, curti a vida e paciência, acabou.” Eu pensava que ia ser assim, mas quanto engano... Eu achava que eu podia fazer o que eu quisesse e que quando eu morresse estaria tudo acabado, mas não foi assim. Depois de morto, aí começou o meu inferno. Era mais difícil conseguir droga, tinha que me valer de outros usuários para me satisfazer, eu falava e ninguém me ouvia, eu queria fazer as coisas e não podia.

E até quando vou viver assim?

Até quando vou continuar vagando sem rumo, sem um objetivo, um dia após o outro, num desespero sem fim, sem trégua?

Será que chegou a minha hora de ter uma chance?

Tem pessoas falando comigo, parecem ser pessoas do bem, que me oferecem ajuda, tratamento, repouso.

Acho que chegou a hora da minha salvação, da ajuda que eu tanto esperei, apesar de não achar que eu mereça, por toda a minha inconseqüência e irresponsabilidade.

Obrigado meu Deus por esta chance, por esta esperança de recuperação que estou recebendo.

Obrigado e adeus.



Márcio Daniel (01/11/08))