Vida fácil?

Sempre gostei de luxo, de dinheiro fácil, nunca fui muito chegada a estudos.

 E eu era bonita. Comecei a usar drogas com os clientes que eu atendia, nos programas que eu fazia. Eu cobrava mais alto quando usava drogas junto com eles, curtia, fazia de tudo, não me preocupava com nada.

Levava uma vida assim, sem limites, sem responsabilidade. Experimentei todo tipo de droga, usei e abusei do meu organismo.

Engravidei algumas vezes, por descuido, pois quando se usa drogas a cabeça não funciona direito e você acaba fazendo coisas das quais nem se lembra depois, E é claro que eu não tive as crianças, não deixava a gravidez ir adiante, primeiro porque não me sentia preparada para ser mãe e depois porque atrapalharia o meu trabalho e os meus planos.

Quanta besteira eu fiz! Como fui irresponsável e inconseqüente.

As coisas sempre vieram fáceis para mim, nunca precisei me esforçar muito para conseguir dinheiro. Mas também me envolvi com muita coisa e muita gente errada.

Mas isso foi há muito tempo. Sofri muito depois que eu morri. Não sabia nada da continuidade da vida após a morte. Levou muito tempo para cair a ficha do que tinha acontecido comigo, de onde eu estava e da minha nova condição como espírito desencarnado, suicida e homicida.

Suicida por ter destruído meu corpo, por não ter valorizado a vida que recebi do Criador, do Deus da Vida.

E homicida por todos os abortos que fiz, por todos que eu impedi de nascer, por não ter aceitado a vontade de Deus, por ter me julgado maior que ele e por me achar no direito de acabar com uma vida.

Como me arrependo pelo que fiz, pela minha falta de responsabilidade.

Mas cedo ou tarde, todos acordam, mesmo os que erraram muito, como eu errei. Cedo ou tarde, nossa própria consciência desperta e nos mostra coisas que antes não enxergávamos, nos faz ver a realidade dos fatos.

Todo ser humano tem direito de ser feliz, todos tem direito ao perdão e a uma nova chance.

E sempre chega o dia em que o arrependimento bate e que a necessidade de ser ajudado se faz premente e maior que tudo.

E esse dia chegou para mim, há alguns anos.

Eu já não me reconhecia, eu já não sabia mais o que fazer para acabar com tanto sofrimento.

Paguei muito caro pelos meus erros, pelos anos de vida irresponsável e inconseqüente.

Mas consegui recomeçar a minha vida, consegui me livrar do vício e agora me preparo para voltar à Terra, para uma nova vida, uma nova chance de começar tudo de novo e de fazer diferente.

Quero agradecer pela oportunidade de estar aqui, dando meu testemunho e, a todos que lerem estas páginas, deixo meu abraço e a certeza de que Deus existe, de que Ele jamais nos abandona, de que a vida continua mesmo após a morte e que, tudo o que fizermos refletirá em nosso futuro, não só enquanto estivermos na Terra, mas depois que passarmos para o outro lado da vida.

Aproveitem a vida, sim, mas com responsabilidade. Liberdade requer responsabilidade e avaliação das conseqüências de nossos atos.

 

Denise (12/09/09)