QUERO PEDIR PERDÃO

Onde estou? Que lugar é esse?

Não sei muito bem como vim parar aqui. Parece que eu estava dormindo e quando dei por mim estava aqui, sentado, ouvindo coisas que eu nunca tinha parado para pensar, ouvindo coisas que agora parecem fazer sentido em minha vida, como se eu tivesse sido despertado de um sono profundo, de um estado letárgico e inerte em que eu me encontrava ainda há pouco.

Ouvi vocês falarem sobre reencarnação, sobre vida após a morte, sobre sentir na pele o que fizemos os outros sofrerem. Sabem que eu nunca tinha pensado sobre isso? Sabem, eu ainda não entendo muito bem tudo o que foi falado aqui esta noite, mas uma coisa eu compreendi: que não há mal nem sofrimento que para sempre dure e que Deus só quer o nosso bem. Quantas vezes eu fui procurado por pessoas boas, que quiseram me ajudar, mas eu não quis seguir com eles, preferia vadiar e continuar minha vida, se é que posso chamar assim o meu estado atual, em liberdade, fazendo o que me viesse na cabeça, sem me importar com as conseqüências.

Quando estive vivo aí na Terra, fui traficante, dos grandes. Comandava esquemas milionários, envolvendo quadrilhas, policiais, diretores de presídio, agentes penitenciários e agentes federais, de alfândega, todo o tipo de gente corrupta, que facilitava nosso esquema e permitia que a droga continuasse chegando aos usuários finais.

Quantos jovens e até mesmo crianças, recém saídas da infância, eu fui responsável por viciar. Como isso me pesa na consciência. Quanto mal eu fiz, quantas famílias destruí. E tudo pelo poder, pelo dinheiro, este dinheiro maldito que eu nunca soube empregar bem, mas que sustentava uma vida de luxo, de riqueza, de festas e noitadas que o dinheiro podia financiar.

Quanto me envergonho hoje, ouvindo esta parábola que vocês leram, a “Parábola dos Talentos”, que já se encontrava esquecida em meu subconsciente, que eu ouvi quando freqüentava as aulas de catecismo em minha infância.

Como fui cair no mundo do crime? Companhias, amizades perniciosas e perigosas, adquiridas ao longo dos anos, pautadas pelo interesse, pela ambição, pelo dinheiro fácil, pelo dinheiro sujo.

Quanto me envergonho pelo mal que fiz, pela minha irresponsabilidade, pelas vidas que ajudei a destruir.

Quero pedir perdão a Deus e a todos que prejudiquei.

Quero me sentir limpo outra vez, quero esquecer todo o mal que fiz e trabalhar em prol da juventude e da infância.

Estou sendo convidado a seguir com espíritos bons para ajudar no trabalho de recuperação de jovens desencarnados vitimados pelas drogas, como aqueles que eu prejudiquei.

Agradeço pela oportunidade que estou recebendo para resgatar as minhas faltas e vou seguir com eles para uma nova vida, para uma nova chance, para tentar consertar um pouco do estrago que causei.

Obrigado por esta noite Senhor! Por esta noite decisiva em minha vida, para o meu arrependimento e para a minha redenção.

Toda a inteligência que Deus me deu, eu usei para o mal, eu usei bolando estratégias e políticas perfeitas que me permitiram viver bem, pelo menos enquanto estive aí na Terra. Mas agora, quero utilizar a minha inteligência para ajudar, para curar feridas.

Muito obrigado.



Márcio (25/10/08))